Articulistas - Artigos

Ainda o projeto de requalificação do Rio Pinheiros

Por José Eduardo Cavalcanti

Publicado em 3 de julho de 2017

Controlar tamanho de fontes:

Como se sabe, as ações por parte do Governo do Estado referentes à requalificação do rio Pinheiros de modo a capacitar o bombeamento regular de suas águas para a represa Billings ainda está carente da definição de uma modelagem que permita atrair a iniciativa privada para bancar o projeto, uma vez que não são disponíveis nas atuais circunstâncias recursos públicos capazes de fazer frente a investimentos deste porte.

Diante disso, o Instituto de Engenharia optou por reformular a formatação do seminário que estava sendo previsto acontecer neste mês de julho. O simpósio que abordaria este tema tinha como formatação original promover dois encontros técnicos:

No primeiro Módulo, denominado, “A Magnitude do Problema”, único encontro agendado, seria discutido principalmente o problema da poluição hídrica estendido não apenas ao rio Pinheiros mas também a toda a bacia do Alto Tietê pelo menos até a confluência do canal que é dotado das estruturas hidráulicas capazes de transportar todo o volume de água para a Billings tendo em vista o regime hidrológico que impera em caráter extraordinário por ocasião da ocorrência das grandes chuvas,

No segundo Módulo, denominado “A Concepção Proposta” seria apresentado para discussão o modelo a ser então definido pelo governo estadual prevendo-se a participação da iniciativa privada no processo de requalificação do rio Pinheiros provavelmente sob a forma de uma PPI, SPES ou outra modelagem adequada e atrativa.

Entretanto, tendo em vista as indefinições que ainda permanecem julgamos prudente alterar a formatação de nosso seminário desenvolvendo com mais detalhes o 4º PAINEL previsto no primeiro Módulo, qual seja: – “Tecnologias avançadas de tratamento de rios poluídos visando auxiliar no incremento da autodepuração do rio Pinheiros e seus afluentes, bem como do rio Tietê e seus afluentes a montante”.

Abordando prioritariamente desde o início dessa discussão, com mais detalhes, as possíveis tecnologias avançadas de tratamento que poderiam ser adotadas na reabilitação das águas poluídas de rios como o Pinheiros, tais como aquelas que foram e estão sendo adotadas em casos similares para rios poluídos da Europa e dos Estados Unidos seria, a nosso ver, uma boa contribuição para o aprimoramento do tema.

Para breve, divulgaremos a grade deste Painel que antecederá a discussão dos temas previstos nos dois módulos originariamente previstos, e provisoriamente adiados, abordando a requalificação do Pinheiros.

 

José Eduardo Cavalcanti

Engenheiro Químico, associado ao Instituto de Engenharia Outros artigos de José Eduardo Cavalcanti



Patrocinados

Comente no Facebook

Comente no IE
0 Comentários

obrigatório

obrigatório

 


Conheça a estrutura do Instituto e o que ele pode oferecer para você